Blog Filosofando - Anos 80, 90 e hoje

Idéias e pensamentos sobre os anos 80, 90 e os dias de hoje. E sobre tudo mais o que der na telha!!

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Os Defensores da Terra

Em 1986, momento em que a televisão tinha um apelo quase mágico e era praticamente o único meio canalizador de entretenimento (sem falar na baita qualidade que os programas tinham), o SBT exibia um desenho maiúsculo, que era algo como a "série animada dos Vingadores" daqueles tempos, se formos tentar achar algum paralelo atual. Tudo começou com Silvio Santos, sempre ele, visionário como é, indo às tradicionais feiras televisivas na Califórnia e adquirindo algumas produções aqui e fechando alguns contratos ali, claro que o homem do baú ia sem muita informação no bolso, mas ficava de olho no que os outros "Silvios" estavam comprando, e assim trouxe o desenho dos "Defensores da Terra" (The Defenders of The Earth - Marvel Productions/A Cadence Company), mania americana e que também começava a ser exibido em vários países. Com um visual pra lá de arrojado e uma animação de primeiro nível (mesmo ainda hoje), o SBT o passou primeiro como uma atração separada e depois dentro dos programas infantis como Oradukapeta e Show Maravilha, a série trazia a reunião de 4 heróis já conhecidos mas com origens diferentes, no mesmo desenho: Mandrake, Fantasma, Flash Gordon e Lothar. De alguma forma a Marvel, hoje a gigante que dá as cartas quanto a qualquer produção com heróis, conseguiu reunir ali alguns justiceiros que estavam sob sua batuta e outros conseguiu "emprestado" - mas conseguiu - , e, com a providencial participação de Stan Lee, produziu esta maravilha da animação que é de encher os olhos em todos os aspectos. Na história, Flash Gordon foge do Planeta Mongo e acaba buscando auxílio na Terra com  Mandrake e Lothar, mas ele deixa para trás como prisioneiros do cruel Imperador Ming (vilão fixo dos desenhos do Flash Gordon) sua esposa e seu filho Rick Gordon, para tentar resgatar sua família, Gordon reúne seus amigos e ainda vão buscar o "Espírito que Anda", nada mais nada menos que o Fantasma, que mora nas Selvas da África, juntos, eles partem para Mongo e enfrentam o vilão, mas a mulher do Flash Gordon acaba morta, eles voltam para a Terra e juram vingança contra Ming, esse é o pontapé inicial. Na Terra, eles criam uma base secreta numa montanha e constroem um supercomputador que possui a personalidade da mãe de Rick que havia morrido, passam a se intitular "Os Defensores da Terra" e começam a travar embates contínuos contra Ming e outras forças do mal que ameaçam nosso planeta, além de Rick, temos o filho de Lothar, LJ, e Jedda, filha do Fantasma, eles são os responsáveis por dar a dose de impetuosidade e juventude nos capítulos (já que nossos heróis famosos são tiozões), as histórias são bem interessantes, a dinâmica delas têm muita ação e são bastante autênticas, com os protagonistas muitas vezes se desentendendo e brigando entre si, Mandrake é o cara das ilusões, dos truques, normalmente é ele que tira a equipe de alguma enrascada na hora H, Lothar tem a  aparelhagem necessária, Flash Gordon é o piloto fora de série e o Espírito que Anda tem a força, a qual evoca "pelo poder dos dez tigres", os grandes atrativos desse desenho não param por aí, a trilha sonora é fenomenal, sobretudo a trilha instrumental do encerramento (veja abaixo), na versão brasileira foi mantida a introdução em inglês o que foi melhor ainda. O sucesso foi enorme, DT tinha grande audiência e era uma série muito popular, teve ao todo 65 episódios e resultou em uma impulsionada monstro na vendagem de quadrinhos individuais dos heróis e também do grupo, e motivou até alguns filmes, como o do Fantasma com Billy Zane (1996). Apesar do sucesso, muita gente - exceto talvez a própria Marvel -, não tinha noção do tamanho do feito que foi essa série, isso pode ser medido muito bem hoje ao vermos o sucesso que faz os Vingadores, seja em filme, desenho, HQ, ou o que quer que seja, de alguma forma "Defensores" foi, ali naqueles tímidos anos da década de 80, uma semente poderosa que com certeza já era uma fórmula vencedora de se usar heróis diferentes, com histórias e origens incomuns, e reunindo-os sobre um mesmo teto e a mesma causa (com a devida justiça de que, se "Vingadores" eram considerados até pouco tempo como heróis de um escalão "B", os "Defensores" então podiam muito bem serem taxados domo heróis "C", talvez com uma leve exceção para o Fantasma), até porque, naquele tempo era muito caro - para não dizer quase impossível - fazer para a TV uma série de heróis com efeitos especiais e atores, coisa que hoje é tão fácil e comum, isso explica a opção pelo desenho. Se você por acaso conseguir um daqueles Delorean's que se usa para viajar no tempo, e puder dar um pulinho ali nos anos 80 para passar uma tranquila tarde vendo o que tinha na TV, não deixe de sintonizar no SBT que, além de Defensores da Terra, tinha uma sequência poderosa de boas atrações que faziam valer cada minuto seu ali assistindo, entre eles "Jayce e a Liga Relâmpago", "Ducktales, os Caçadores de Aventuras", "Pole Position", "Os Fantasmas", "MASK", e por aí vai. Com certeza Lóki, agora 32 anos depois de DT, agradece sorridente a seu "precursor" do mal Imperador Ming!

Abaixo, clipe da abertura da série: (fonte dos vídeos:Youtube)


Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Webmaster, Crônica e textos: O autor Cresceu em São Paulo, teve a infância nos anos 80, admirador dos filmes, seriados, desenhos, músicas e games que se vivia naquela época, a última década da qualidade, e da inocência! Contato: kamenin.oruha@gmail.com