Idéias e pensamentos sobre os anos 80, 90 e os dias de hoje. E sobre tudo mais o que der na telha!!

sábado, 22 de junho de 2013

80's Music - Vou de Táxi

Em outro post citei que nos anos 80 e 90 algumas coisas inacreditáveis aconteciam, como a Globo receber um artista de emissora concorrente em seus programas, algo hoje impensável, o vídeo abaixo ilustra outra vez como os canais eram mais equilibrados, dessa vez foi Angélica, a então estrela da arqui-rival Rede Manchete quem exibiu seu sucesso, "Vou de Táxi", no palco do Globo de Ouro: (na época a loira comandava seu programa infantil Clube da Criança além do musical Milk Shake no canal concorrente, com grande sucesso)


Pela janela do meu quarto
Ouço a buzina
Me chamando
Quem será que vem me acordar

Mas no banho
Foi só me tocar
De repente
Lembrei do teu olhar

No espelho
A cor do batom
Lembro o beijo
Foi pra lá de bom...

(refrão)
Vou de táxi "cê" sabe
"tava" morrendo de saudade
Mas não lembro
Do teu nome

Não tem pressa
Teu jeito de olhar pra mim
Me arrepia
Me leva , me faz viajar...
Pelo céu
Pelo sol
Pelo ar
Pelo mar
A escola pode esperar...

Vou de táxi
Mas só com você
Vou de táxi
Só pra te ver

Vou de táxi "cê" sabe
"tava" morrendo de saudade
Vou de táxi "tô" com saudade
Vou de táxi

"tô" com saudade...

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O Rei Arthur (desenho)

Essa é uma das obras-primas da animação japonesa, um dos melhores desenhos da década de 80/90, porém um dos mais difíceis de se obter informações por não ter sido reprisado após a exibição no SBT, a primeira confusão dos fãs sobre ele é que não se trata de produção americana, é um anime japonês, série animada inspirada no conto do famoso jovem Arthur que se tornou Rei após conseguir remover a espada Excalibur cravada na bigorna, feito que todos haviam tentado mas ninguém obteve sucesso. As aventuras de Arthur se passam na era medieval dos cavaleiros da Távula Redonda e o desenho é uma maravilha, uma outra confusão comum é quanto ao seu nome, já que a partir da segunda temporada o personagem Rei Arthur muda seu nome para "O Príncipe do Cavalo Branco" pois na trama ele deixou seu reino e adotou nova identidade para não ser reconhecido, e em alguns episódios a dublagem botou esse nome como título da série. A história começa quando um cavaleiro traidor, Medic, decide matar o Rei Ultari de Brogles, e seu filho Arthur de apenas 3 anos, após ser convencido por uma bruxa, ele reúne um grupo de cavaleiros negros assassinos e invade o castelo de Camelot numa noite, exatamente como o mago Merlin havia predito para Ultari anos antes, o Rei luta, mas é morto pelos invasores, Arthur consegue escapar no colo de sua mãe, que o entrega a Merlin para que esse garantisse a sobrevivência do menino, os assassinos acreditam terem cumprido sua missão e partem. 12 anos depois, Arthur vive como camponês com seu irmão e pai adotivo, e o reino de Brogles está à beira do caos, diversos aspirantes ao trono vago tentam convencer o clero local a nomear um novo monarca, com intenções de invadir reinos vizinhos e iniciar uma guerra, um deles é o cavaleiro traidor que havia matado o Rei Ultari, Medic, e que acreditava ter feito o mesmo com seu filho, eis que os cardeais decretam que após ter recebido um aviso divino, declararão novo Rei aquele que remover a espada lendária Excalibur que estava encravada na bigorna, para tanto, uma convocação de todas as pessoas do local é feita, alguns homens tentam remover a arma mas sem sucesso, então Arthur, que havia se tornado um jovem valente e revoltado com os desmandos da elite, caçoa dos que sofriam ao tentar sacar a espada e é ameaçado por Medic, ou ele retira Excalibur de seu leito, ou terá seu pescoço cortado, para desespero de seu pai e seu irmão, pra resumir, eis que o garoto consegue retirar a espada e seu pai adotivo revela que ele é na verdade o príncipe Arthur herdeiro de Camelot, que havia sobrevivido ao ser salvo pelo mago Merlin e entregue a ele em segredo. Com esse ponto de partida espetacular Arthur parte para Camelot onde assume o trono do reino, recebe a armadura e a espada Excalibur que fora de seu pai e reúne sua corte, e inicia o longo processo de recriar os cavaleiros da Távula Redonda, tal como o falecido Rei havia feito, somente com os cavaleiros e os servos mais leais e justos, e começa uma longa batalha contra as forças malignas que têm interesse em destruí-lo para assumir o poder, na segunda temporada, uma reviravolta acontece, e Arthur decide deixar Camelot para se tornar um herói "itinerante", e adota a denominação de Príncipe do Cavalo Branco. Produzido pela Toei Company em 1979, foi um desenho de grande sucesso em diversos países, ainda era da fase em que os animes japoneses predominavam e tinham grande prestígio, uma curiosidade é que as músicas das aberturas originais na língua nipônica foram gravadas pelos cantores Isao Sasaki e Ichiro Mizuki, conhecidos de nós por cantarem temas de outros famosos heróis como Metalder, Patrulha Estelar e Spielvan, muita gente confunde esse desenho do Rei Arthur com a versão americana "The king Arthur and the knights of Justice" - O Rei Arthur e os Cavaleiros da Justiça, nessa versão japonesa, a dinâmica da história é 500 vezes melhor e o ritmo mistura enredos de filme com novela, bem ao melhor estilo de drama e aventura sempre presentes num bom anime japonês, não é nenhum exagero comparar o modo como o expectador absorve os episódios com a série Cavaleiros do Zodíaco que seria produzida pela mesma Toei alguns anos mais tarde, o heroísmo e a valentia de Arthur frente a inimigos muito mais poderosos é a mesma, e a cada capítulo que passa você se envolve com ele e com seus ideais para continuar sua luta, e acaba "fisgado" para acompanhar o desfecho seguinte, foi exibido à tarde no Show Maravilha e fazia parte de uma grade de ferro composta por outros grandes desenhos no SBT, como Jayce e a liga Relâmpago, Honey Honey, Defensores da Terra, Ducktales, etc, foi uma produção muito admirada e bastante assistida.

Abaixo, abertura em português


A seguir a abertura original do desenho, em japonês




quinta-feira, 20 de junho de 2013

80's Music - Mara

Hoje vasculhando o Youtube achei esta jóia, uma rara participação da Mara no Domingão do Faustão entre o final dos anos 80 e início de 90, o detalhe é a conjectura da cena: uma artista do SBT, apresentadora de programa infantil, cujas músicas estouraram nas paradas de sucesso e mesmo assim foi convidada para ir a um programa da Globo... Dá para imaginar algo assim ocorrendo hoje? Isso dá uma idéia da força que o SBT tinha. Sem dúvida essa foi a música da cantora que mais fez sucesso (Não Faz Mal - Eu To Carente mas eu To Legal) vamos relembrar o grande sucesso da Mara



Há quanto tempo não vejo a sua cara
Nem sei se quero te ver
Tua lembrança ainda é muito clara
Eu não consigo esquecer
E não adianta chorar
Me iludir
Você não vai voltar
Foi bom enquanto durou
E valeu
O que passou,já passou

Não faz mal
Eu tô carente
Mas eu tô legal
Não faz mal
Eu tô carente
Mas eu tô legal

E quantas noites eu sonho que te amo
Ou que estou com você
Mas eu acordo sozinha a perigo
O que é que eu posso fazer?
E não adianta tentar
Me iludir
Não quero mais você
Foi bom enquanto durou
E valeu
O que passou,já passou

Não faz mal
Eu tô carente
Mas eu tô legal
Não faz mal
Eu tô carente
Mas eu tô legal

E você está
Contando pras amigas
Do seu jeito
Todas nossas brigas
Como eu fui um dia acreditar em você?
E quando eu pensei que a gente,até podia...
Você jogou um balde de água fria
Ai,meu Deus!


Eu fui acreditar em você...

terça-feira, 18 de junho de 2013

Caverna do Dragão

Olá leitores do Blog, depois de quase um ano sem postar vamos aos poucos retomar as matérias e para voltar em alto estilo, vamos falar de um desenho que até pouco tempo era exibido diariamente nas manhãs da Globo, antes desta decidir eliminar totalmente sua programação infantil diária após décadas, ainda mais com a reestréia prevista para breve no canal pago Gloob, Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons no original americano). Imagine que você vai com seu grupo de amigos a um parque de diversões e, de repente, ao viajar na montanha russa vocês são lançados num outro mundo, com roupas e armas diferentes, poderes mágicos, criaturas e acontecimentos estranhos, inimigos poderosos e mortais, e que você percebe que tem que passar a perseguir desesperadamente o  caminho de volta pra casa... essa é a tônica espetacular de Caverna do Dragão. Nossos heróis são Hank, o loiro que ao chegar no mundo misterioso recebeu do Mestre dos Magos um arco e flecha mágicos, cabe a ele liderar os sexteto perdido e manter a ordem, além de abafar os conflitos que não são poucos, principalmente com Eric, nosso segundo em "comando" na equipe, o cavaleiro com escudo e armadura é uma figura totalmente espalhafatosa, alterado e de pavio curto, vive discordando de Hank e dos demais nas decisões e estratégias para sobreviver no mundo estranho e volta e meia abandona os colegas para se aventurar sozinho, claro que logo ele se mete em encrenca e acaba tendo que ser salvo pelos outros, mas é valente e ao longo dos episódios demonstra grande coragem; Presto também faz parte do nosso time de heróis perdidos, ele é o mágico que utiliza uma roupa verde e consegue retirar de seu chapéu encantado as mais inusitadas soluções para ele e seus colegas escaparem de alguma encrenca, por vezes isso não dá certo e o tiro sai pela culatra; Diana é a garota atlética, utiliza um visual de garota da selva e sua arma é um bastão para realizar saltos de grande altura; Sheila é a garota meiga do grupo, passa grande parte do tempo preocupada em cuidar de seu irmão caçula Bobby, que estava com ela no momento do fatídico passeio na montanha russa, seu grande trunfo é uma capa especial que pode lhe tornar invisível; Bobby, é o caçula dos heróis, ele e sua irmã Sheila fazem parte do único elo de parentesco existente no grupo, ele recebeu o visual de um pequeno bárbaro e utiliza como arma uma clava, que tem poder de abrir grandes fendas no chão e provocar terremotos, por vezes ele é justamente chamado de "Bárbaro" por outros personagens, tem grande ligação com seu unicórnio de estimação, Uni, do qual não desgruda por nada, pelo acontecimentos que envolvem Bobby, ele é claramente uma das figuras-chave no enredo e oculta muitos mistérios, claro que não tantos quanto o Mestre dos Magos; esse sim um personagem símbolo e chave da história: o velhinho baixinho que sempre fala em tom sarcástico e cheio de enigmas, é o grande orientador e a principal ajuda para os heróis se manterem no caminho da busca para encontrar uma saída de volta para casa, foi quem recebeu os recém-chegados explicando sua nova realidade e fornecendo as armas especiais, ele aparece do nada e desaparece da mesma forma, sempre quando nossos amigos estão no meio de algum dilema ou precisando de algum conselho, ele tem poderes mágicos mas o desenho nunca deixa transparecer exatamente qual a sua capacidade, já se envolveu em algumas batalhas espetaculares para ajudar nossos heróis, principalmente em embates contra o Vingador: o grande vilão da história, o ser perverso, representação pura do mal e das energias negativas, tem por obsessão atrapalhar os planos dos heróis deixarem seu mundo, também não morre de amores pelo Mestre dos Magos, com o qual rivaliza em muitos episódios, o desenho deixa no ar muitos mistérios, e a falta da exibição de um capítulo final, de um desfecho para a história (o que em minha opinião contribuiu para a grande fama que a produção alcançou) e entre esses mistérios não fica claro quem é mais poderoso, se o velhinho do bem ou se o gigante do mal, até mesmo quem deles está do lado do bem ou do lado do mal! 

Os heróis: Eric, Hank, Sheila, Bobby, Presto e Diana

Os episódios são espetaculares, mostram nossos heróis vagando pelas terras estranhas de um mundo mágico onde tudo pode acontecer, onde geralmente enfrentam criaturas que brotam do chão e não são encontradas nem em nossos piores pesadelos, um lance genial da série é a total imprevisibilidade, ou seja, o telespectador nunca sabe que tipo de perigo os heróis irão encontrar em cada capítulo o que torna cada história um drama emocionante, sempre com toques de humor e aventura. Uma das coisas mais legais sobre o desenho são os mitos, já que não houve um final conhecido na série de TV, especula-se muito sobre hipotéticos finais que teriam ocorrido, mas é claro, tudo especulação, já que nos EUA a história virou livro e HQ, numa delas há a versão de que o final não não foi feito na TV, mas sim em quadrinhos, outra diz que Uni, o unicórnio de Bobby era um demônio a mando do Vingador, que os heróis têm que destruir, noutra, esse demônio seria o próprio Mestre dos Magos, que na realidade seria o vilão Vingador disfarçado, enfim, tudo só para aumentar a popularidade da saga. O desenho foi exibido nos Estados Unidos pela Rede CBS, tradicional canal que exibia os grandes desenhos dos anos 80 por lá, em seu país, a produção ganhou recentemente um box cobiçado em DVD (no Brasil não, é claro), sua produção foi de 1983 a 1985 com 27 episódios e teve toques da Marvel com traços de animação da Toei Company, do Japão. No Brasil, Caverna do Dragão esteve no ar por mais de 20 anos a fio na mais improvável das emissoras, a Globo, isso mesmo, a platinada deu um grande tratamento ao desenho que atravessou programas como Xou da Xuxa, TV Colosso e mais recentemente TV Globinho, onde estava no ar há poucos meses, até que a emissora carioca decidiu cancelar totalmente sua tradicional programação infantil das manhãs de segunda a sexta, o desenho foi junto, e nos poucos desenhos de sábado que ainda vão ao ar ainda não consegui vê-lo, o engraçado é que este era praticamente o único desenho antigo que foi mantido no ar quase que ininterruptamente, desde os áureos anos 80, quando haviam não só uma, nem duas, nem três mas mais de quatro emissoras abertas que dedicavam grande parte de sua programação diurna às atrações infanto-juvenis, SBT e Globo lideravam essa era (nessa ordem de importância), a emissora do Silvio Santos se destacava pois praticamente toda sua grande diária era voltada para desenhos e séries, enquanto que a Globo geralmente tinha toda a sua manhã voltada para isso, o que torna a recente decisão de cancelar esse tipo de atração nas manhãs de segunda a sexta para substituir por programas femininos de variedades algo histórico (em minha opinião, negativamente), aliás, embora não justificasse, isso provavelmente se deveu à grande disseminação da TV a cabo, que têm canais exclusivos para atrações infanto-juvenis, aliás, o fim da TV Globinho semanal (que já era bem reduzida, diga-se) ocorreu simultaneamente com a inauguração do canal pago global exclusivo de desenhos, o Gloob, mas isso vai além, agora estamos observando nas famílias brasileiras hábitos inéditos, como ter poucos filhos (quando não um só) e a colocação destes ainda muito novinhos em escolinhas de tempo integral, onde são depositados, digo, entregues às 7 da manhã e pegos às 6 da tarde, claro que lá a rotina de atividades é bem diferente do que era quando da tradição em mantê-los em casa com a mãe ou outra pessoa onde a TV era um item fundamental, nessas escolinhas em tempo integral da era moderna TV é algo bem mais restrito, enfim, são os sinais das mudanças dos tempos, o que torna a época em que a maioria de nós crescemos e vivemos tão especial e cheia de magia, quando podíamos apreciar uma TV sadia e cheia de qualidade, com desenhos ao nível de Caverna do Dragão, fica a dica para acompanhar essa imperdível produção no canal Gloob, quando reestrear.

A seguir abertura original do desenho em inglês:

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Cresceu em São Paulo, teve a infância nos anos 80, admirador dos filmes, seriados, desenhos, músicas e games que se vivia naquela época, a última década da qualidade, e da inocência! Contato: kamenin.oruha@gmail.com